21 de abril de 2011

espelho meu, espelho meu ...

olá espelho meu. como poderei me apresentar melhor do que diante de ti? és o meu reflexo, ou melhor, representas o meu reflexo. mesmo que ás vezes eu não goste daquilo que vejo. à dias que me sinto aparte do mundo e nesses dias não gosto de me colocar diante ti, outros dias sinto-me tão parte dele que passo por ti e simplesmente sorrio porque gosto daquilo que vejo. uns dias gosto da minha aparência, ás vezes descuidada e outras nem tanto, as duas tão distintas. gosto de olhar para ti nos dias em que não saiu de casa e me vejo a vaguear com os pijama ou com uma tshirt que me chegue aos joelhos, descalça e de cabelos em pé como se tivesse 5 anos, gosto de ver a minha cara inchada porque é sinal que dormi até tarde. mas também gosto de passar por ti quando me coloco o mais bonita possível, e gosto daquilo que vejo. vejo uma pessoa que aceita os seus defeitos, mesmo que esses sejam umas banhas aqui e acolá, acne, rugas, cicatrizes, etc. porque isso é tudo o que sou.
não gosto de ti quando vejo lágrimas a correrem-me pela cara, não gosto! não gosto quando me vejo sozinha à tua frente, prefiro que esteja alguém do meu lado. não gosto quando perante ti vejo alguém fraco ou farto. porque eu também sou assim. e quando vejo alguém derrotado só quero esquecer a imagem.
gosto de me ver ao espelho e por vezes ver alguém que nem eu própria conheço, porque isso significa que eu não sou sempre a mesma, que tenho vertentes. gosto de ver que um dia posso ser o melhor, e que um dia posso ser o pior. gosto de sentir que tenho defeitos, porque assim dentro de mim cresce uma ânsia de mudar, se estes interferirem com alguma coisa.
acima de tudo gosto de ti espelho, porque me mostras sempre alguém. um ser humano, uma pessoa, que tem coração. que sofre e que diante de ti, por vezes, desabafa como se estivesse a falar para ela própria.
espelho, deixo-te um pedido, mostra-me sempre o verdadeiro, sê sempre sincero comigo. ao longo dos anos sempre vi em ti um reflexo, primeiro de uma menina e depois de uma mulher, ou talvez ainda seja menina, mas que apesar de todas as adversidades da vida superou tudo com o melhor que pode. muitas vezes não foi suficiente e outras foi, mas é para isso que cá estás. para me mostrar as minhas vitórias e os meus fracassos. uma coisa te garanto, mostres o melhor ou o pior nunca vou deixar de enfrentar-te.

Sem comentários: