29 de dezembro de 2010

Avó, tenho tantas saudades tuas. fazes tanta falta, não só a mim, já passaram bastante anos desde que te foste, de uma maneira tão imprevisível, e deixaste entre nós um vazio que não consegue ser preenchido por nada. Lembro-me tão bem dos dias que passei contigo, de chegar da escola e me fazeres café com leite que eu adorava, para comer com pão e queijo. Quando dizias para irmos ao encontro da minha mãe, orgulho-me de dizer que tive duas mães, não pondo nenhuma em primeiro lugar. Mas tu foste uma mãe para mim, pelo tanto que cuidaste de mim. Não devias ter ido tão rápido e tão cedo, ainda tinhas muita vida pela frente, e queria que me visses hoje. Lembro-me uma vez quando era pequenina, devia rondar os 8 anos, estava deitada no teu colo e me passaste os dedos pelos lábios e disseste "esses olhos verdes ainda vão partir muitos corações"... Hoje as lágrima ainda me correm pela cara exactamente da mesma forma como correram no dia em que partiste. 
Dizem que o tempo cura tudo, a mim não me curou nada. 

adriana
 

2 comentários:

RuteRita disse...

Bem como não podia deixar de ser, o blog : No clichés, only love vem por este meio desejar-vos um óptimo ano e que aproveitem a vida ao máximo. SEJAM FELIZES. Tanto eu como o meu blogue estará sempre aqui para vocês e obrigada a todos vós pelo contributo que dão diariamente ao meu cantinho. Rute Rita ♥

josedmsoares disse...

Sinto exactamente o mesmo pelo meu avô. Faz, no proximo mes, 10 anos que ele partiu de uma maneira imprevisível...
Também me faz imensa falta, e também foi um segundo pai para mim.
Percebo bem o que sentes Dri**