23 de setembro de 2010

o Bolinhas




hoje estava a ler um blog e senti-me verdadeiramente triste, como se uma tristeza e dor se tivesse apoderado de mim, é assim sempre que revejo coisas más e desumanas que fazem aos animais, é uma dor diferente de todas as outras. muitos talvez vão achar estúpido o que vou dizer, mas muitas vezes sinto mais amor e carinho por muitas pessoas que por cá andam, até porque muitas delas não o merecem. e os animais sim. se alguém souber a resposta por favor diga-me, porquê maltratar os animais? não há que eles façam contra nós, a não ser que se sintam ameaçados por alguma coisa. e depois ainda ficam espantados quando algum animal ataca uma pessoa, e porque não questionarem-se a razão pela qual levou o animal a fazer tal coisa?! os animais dão-nos a sua vida e a sua fidelidade, dão-nos AMOR independentemente do que lhes façamos, quantas vezes é que ralhamos com o nosso cão e chegamos mesmo a batê-lo e logo de seguida, ele olha-nos nos olhos e vem ter connosco da mesma maneira? com o mesmo amor e o mesmo tilintar do rabo? já me aconteceu e partiu-me o coração, senti-me eu o animal e ele o humano. senti que ele me estava a ensinar que asneiras todos fazemos, e eles são como crianças eternas. sortudos. não têm medo de brincar e não têm medo de demonstrar o amor e a gratidão que sentem por nós, em resposta o que muitos fazem? um safanão, um "sai daqui", muitas vezes um abandono. 
o que aprendi com muitos gatos e cães que passaram na minha vida é que eles sabem o significado do amor eterno, e que ultrapassa todas as barreiras. eles sabem e tentam ensinar-nos mas nós não queremos ver, e muito menos aprender. 
uma das coisas que mais me lembro em relação a um cão que tive, chamado Bolinhas, ele sempre foi um fiel companheiro e um amigo de verdade meu e da minha irmã. tanto que quando a minha mãe ralhava com a minha irmã ele rosnava à minha mãe (sem nunca lhe fazer mal!) e defendia a minha irmã. lembro-me que, uma vez, estava eu sentada nas escadas da minha antiga casa a chorar já nem me lembro porquê e chamei-o para vir ter comigo, e ele lambeu-me as lágrimas. como se estivesse a querer dizer que ele ia estar sempre lá para as secar. era um verdadeiro amigo. tempos depois os meus pais divorciaram-se e nem a minha mãe nem o meu pai puderam ficar com ele e, com muita pena minha, ele teve que ir para o canil. tempos depois, bastante até, a minha mãe decidiu saber se ele ainda não tinha sido adoptado ou morto porque queria ficar com ele, e para nossa surpresa ele ainda estava lá. quando lá chegamos a principio não nos reconheceu e rosnou-nos, estava em tão mau estado. o seu lindo pelo encaracolado agora era um monte de enriços, e os olhos estavam mais tristes que nunca, a lama escondia-lhe toda a sua vida como uma capa. fiquei triste e quase perdi a esperança porque o meu querido amigo tinha-se esquecido de mim, mas não desisti. e continuámos a chamar por ele, e foi assim que ele nos reconheceu. mesmo depois de meses, mesmo depois de o termos abandonado, ele voltou a aceitar-nos e a alegria que ele sentiu quando abriram a porta da jaula onde ele estava invadiu todos que ali estavam, correu para mim e lambeu-me como se estivesse a querer dizer que nunca, nunca ia abdicar de mim e que nos perdoava. há cerca de 3 meses o Bolinhas morreu.. envenenado. agora digam-me, quem são os verdadeiros animais? 


- O Bolinhas no canil :( -
                                                
                   
- Ele em casa :) -


ps- acho estúpido vender os animais, mas prontos, vou comprar um gatinho que vi na loja de animais e que me derreteu o coração com os seus olhos doces :)

2 comentários:

Cátia disse...

juro-te ... aii como eu odeio essa gentinha :@ e o bolinhas é que pagou =(

Andreia disse...

O Bolinhas não morreu, apenas o corpo que sustentava a sua alma! Ele a esta hora está de CERTEZA a correr num prado verde e grande com outros cães! ;)