9 de setembro de 2010

hoje dei comigo deitada na cama a ler o meu livro e a pensar em ti, a pensar mais em ti do que no próprio livro. sempre que penso em ti é assim, parece que a vida pára e o vento deixa de soprar porque tu paras os momentos e a minha vida. assim que ouvi a porta a bater sabia que eras tu e assim permaneci deitada na cama a ouvir-te a chegar cada vez mais perto de mim, é assim que gosto, os teus passos ecoavam pelas paredes num tilintar perfeito como música para os meus ouvidos. assim chegaste e deitaste-te ao meu lado sem dizeres uma palavra, foi assim que num nervosismo amoroso comecei a folhear o livro mandando-te indirectas de que realmente eu estava a ler-te era a ti, e foi assim que fui parar à última página e li-te o que a minha mãe havia sublinhado. "e quando à tua frente se abrirem muitas estradas e não souberes a que hás-de escolher, não metas por uma ao acaso, senta-te e espera. respira com a mesma profundidade confiante com que respiraste no dia em que vieste ao mundo, e sem deixares que nada te distraia, espera e volta a esperar. fica quieta, em silêncio, e ouve o teu coração. quando ele te falar, levanta-te, e vai para onde ele te levar." com o teu olhar doce e a tua boca singela disseste-me que sempre que eu me sentisse perdida ou não soubesse onde ir que corresse para ti porque irias estar sempre à minha frente, nunca corresse para trás porque não dá para voltar. isso ficou-me gravado na memória e no coração. sem nunca dizer-te uma palavra ficaste a saber que era isso mesmo que eu queria, voltar sempre a correr para ti como uma miúda indefesa corre para a sua mãe, quero sempre que sejas o meu porto de abrigo, tu que és uma espécie de sol para mim e eu era um planeta solitário que por cá andava sem um sol próprio, agora tenho-te a ti e não te quero deixar ir nunca, nunca mais. és perfeito. e não tenho medo que digam que se estou cega porque estou apaixonada, eu não estou cega, vejo melhor do que ninguém e a vivência com os teus defeitos é que me faz salientar que tu és perfeito, perfeito à tua maneira e perfeito para mim. lembro-me como se fosse ontem o dia em que te conheci, as tuas palavras tímidas ficaram-me gravadas e agora tenho-as guardadas numa caixa cheia de pó numa das gavetas do nosso quarto, quando sinto saudades vou lá e ouço-as de novo. a verdade é que as palavras tímidas que transmites aos outros não são nada mais que entradas para o teu mundo, para o teu verdadeiro ser. esse teu ar de rapaz de 16 anos com o cabelo despenteado e as calças caídas com as boxers de fora, essa tua ânsia de fazer sempre mais e essa tua energia imparável são características tão tuas, que nem sabes que as tens, há coisas sobre ti que nem tu ainda descobriste. há em ti uma bondade que tu ainda não te apercebeste o bem que ela faz ao mundo, aos teus pais, aos teus irmãos, aos teus amigos, a mim. há em ti algo que eu não sei explicar, uma essência de anjo que desceu à terra e perdeu as asas, que me apaixona e me faz ganhar asas, como se me emprestasses as tuas, em ti há qualquer coisa de especial, algo de divino e apaixonante que te faz saltar à vista no meio de milhões, não passas despercebido de ninguém, muito menos do meu coração. 
não ouvi o meu coração falar-me muita vez, mas das poucas vezes que ouvi ele ecoou sempre o teu nome, e é para ti que eu vou continuar a correr até que ele me diga o contrário, mas eu sei que ele vai levar-me sempre a ti, meu anjo.

3 comentários:

Mel disse...

onde descobriste o site ?

Mel disse...

até acerta em algumas coisas!Principalmente na decoração do meu quarto.

Danii disse...

Oh, obrigada querida !
Aproveitei muito, mesmo :)