29 de agosto de 2010

- elos

- existem correntes inquebráveis. dei-me conta de que existem certos laços que estabeleci com pessoas que tive no passado que não se corroem e que nem as maiores tempestades que nos atravessaram conseguiram rasgar, e depois de tanto ódio que jurei sentir por elas hoje dou-me conta que menti. menti ao mundo e menti a mim própria. e continuei a ver nessas pessoas restos de amizade. quantas vezes queremos que uma coisa seja tão verdade que começamos a dizê-la vezes e vezes sem conta, como se estivéssemos viciados nisso, e começamos a ser prisioneiros das nossas próprias palavras. senti-me assim. acorrentada aos meus próprios pensamentos, os pensamentos mais torpes que pela minha cabeça andaram. talvez por muitos de nós sermos corações moles, e termos manteiga em vez de carne a constitui-lo, talvez seja por isso que mesmo depois de tantos atentados ao nosso coração continuamos a gostar e a amar cada pessoa da mesma maneira, a amá-los com cada bocadinho partido do nosso coração. digo-vos, às vezes gostava de ser mais forte ou melhor de ser mais ressentida, de ser um bocadinho maligna. talvez assim não me magoassem tanto. talvez eu até conseguisse quebrar estas correntes, estes elos que criei com alguns e que agora perduram. perduram pelo tempo sem fim. 

4 comentários:

Raquel ♥ * disse...

ainda bem que gostas-te minha querida (:
e obrigada por me seguires *

Luis disse...

Sem tirar nem por Dri (:

L' disse...

"quantas vezes queremos que uma coisa seja tão verdade que começamos a dizê-la vezes e vezes sem conta, como se estivéssemos viciados nisso, e começamos a ser prisioneiros das nossas próprias palavras." Bem verdade : o amei o post *.* Um beijinho *

Kutxii disse...

Que bonito!