8 de julho de 2010

uma simples reflexão.


"Só sei que nada sei" - Sócrates -

De certeza que já muitos de nós ouviram esta frase, até há mesmo quem a diga quando fala com os seus botões ou nos seus suspiros recatados. Para mim esta frase é como se fosse a base para o conhecimento máximo, penso que quem conhece/cita esta frase talvez tenha chegado ao máximo do seu QI porque por mais que pesquisemos e procuremos respostas as perguntas é que hão-de sempre ter o principal significado, só aquele que coloca as questões é que pode algum dia estar mais perto da verdade e, por consequente, estar mais perto de saber que na realidade nada sabe. Porque nada se sabe. Podemos até por algum tempo saber a resposta a determinada pergunta, mas o mundo não pára, e as voltas que ele dá são suficientes para mudar todas as perguntas e aí ficas com as respostas todas ao contrário. O mundo é o único que consegue fazer-te duvidar de ti mesmo, como se ele tivesse um livro em que sustém todas as respostas do mundo mas que ele não cede para ninguém! Vai tecendo a vida e as perguntas/respostas como lhe apetece, e se um dia lhe apetecer que 2+2 seja 5 assim será. E a maioria de nós talvez nem ponha isso em causa, porque somos cegos o suficiente para aceitar e não reclamar, o verdadeiro sábio não é aquele que sabe todas as respostas mas sim aquele que coloca os porquês, e também aquele que no fim de tudo sabe que nada sabe. A vida é uma incógnita e tu não vais conseguir descobrir a resposta, é um quebra-cabeças onde, literalmente, quebras a tua cabeça. Vezes e vezes sem conta, porque queres ser sempre melhor que tu próprio, queres ser melhor que a vida que é a grande sábia, nesta guerra a que chamamos de vida, uma guerra onde se disputa o título para "o melhor". Cá penso que "o melhor" é aquele que não faz parte dessa baralho, que é aquele que sabe que nunca chegará ao máximo do saber. Aquele que percorre o seu caminho sempre a pensar "só sei que nada sei".

Sem comentários: