16 de junho de 2010

solitate


-desde os primeiros milésimos de segundo que te conheci, desde as primeiras sílabas que vi saírem da tua boca destinadas ao meu coração, desde o primeiro até ao último sorriso que pude presenciar vindo do mais fundo da tua alma, desde o primeiro momento que vi o meu reflexo nos teus olhos passei também a saber o que era realmente a felicidade, esqueci a palavra solidão e já não quero seguir o meu caminho sozinha. tu, que curas o meu coração melhor que ninguém, és aquela pessoa a quem peço que não vás nunca, porque eu sei que hei-de precisar sempre de ti. tens sempre aquela palavra sentida e segura para me oferecer, deste de novo cores ao meu céu, pegas-te nos estilhaços do meu coração e delicadamente colocaste-os no sítio, e hoje eu digo-te, que marcaste-o! marcaste o meu coração, as tuas impressões digitais estão lá, se olhares no fundo dos meus olhos talvez as consigas ver. estás ai e eu aqui. e eu nunca pensei que pudesse ser tão feliz através disto. tu secas as minhas lágrimas mesmo antes delas caírem, tenho a tua pele gravada nas mãos e o teu sabor na minha boca. tenho o teu cheiro entranhado na minha pele e nas minhas roupas, tenho os nossos momentos guardados em algum lugar para toda a eternidade. tenho-os guardados no meu coração, memórias escritas com tinta permanente.


1 comentário:

joanabranco disse...

não poderia concordar mais com o que disseste. por vezes antes de postar algo ainda penso "já sei que isto vai dar que falar", mas sinceramente já me importei mais.
"tenho o teu cheiro entranhado na minha pele e nas minhas roupas, tenho os nossos momentos guardados em algum lugar para toda a eternidade. tenho-os guardados no meu coração, memórias escritas com tinta permanente." - ADOREI